Reedição da obra de José Afonso em 2012

Os onze álbuns do cantautor português José Afonso começam a ser reeditados a partir de segunda-feira com o lançamento de “Cantares de Andarilho” (1968) e “Contos velhos, rumos novos” (1969), os dois primeiros registos do músico.
A editora Orfeu vai reeditar, ao longo dos próximos doze meses, todos os álbuns de José Afonso publicados entre 1968 e 1981, assinalando desta forma os 25 anos da morte do compositor.
Os onze álbuns foram restaurados e remasterizados digitalmente, pelo engenheiro de som António Pinheiro da Silva, e a edição conta com novos textos que contextualizam o momento em que foram feitos no percurso de José Afonso.
Antes de gravar “Cantares de Andarilho”, em Lisboa, José Afonso gravou vários EP de baladas em Coimbra, onde estudou e se tornou num dos nomes da canção da cidade, viveu e deu aulas em Moçambique, país na altura em convulsão e onde disse ter vivido o “batismo político”.
Sem recorrer à guitarra portuguesa, e sem formação musical, José Afonso gravou “Cantares de Andarilho” com a colaboração do guitarrista Rui Pato, que o acompanharia também em várias atuações ao vivo.
O álbum, que inclui um texto de apresentação do escritor Urbano Tavares Rodrigues, tem no alinhamento temas como “Natal dos Simples”, “Canção de embalar”, “Senhora do Almortão” e “Vejam bem”, pensado originalmente para concorrer ao festival da canção de 1967.
Como o contrato com a Orfeu e com o editor Arnaldo Trindade estipulava a edição de um disco novo por ano, José Afonso editou em 1969 “Contos velhos, rumos novos”, o álbum em que se denota a influência de África e da tradição popular portuguesa.
Com Rui Pato à viola, José Afonso, então com 40 anos, acrescentou outros instrumentos, como o bombo e a harmónica, ampliando a riqueza musical das canções.
Do álbum fazem parte “Bailia”, “S. Macaio”, “Qualquer dia” e “A cidade”, canção feita com José Carlos Ary dos Santos.
De acordo com o plano editorial da Orfeu, na segunda quinzena de maio sairão “Traz outro amigo também” (1970), “Cantigas do Maio” (1971) e “Eu vou ser como a toupeira” (1972).
Durante o mês de outubro está previsto o lançamento de “Venham mais cinco” (1973), “Coro dos tribunais” (1974) e “Com as minhas tamanquinhas” (1976).
Entre março e abril de 2013, serão editados os últimos três álbuns: “Enquanto há força” (1978), “Fura fura” (1979) e “Fados de Coimbra” (1981).
José Afonso morreu a 23 de fevereiro de 1987, aos 57 anos, vítima de esclerose lateral amiotrófica.

Diário de Notícias

some_text

3 Comentários para “Reedição da obra de José Afonso em 2012”

  1. É bom, é bom. Resta esperar, para ver e…comprar!

  2. Afinal, os CD’s não foram postos à venda na data anunciada. De acordo com as informações da FNAC, em Lisboa, só serão postos à venda no dia 16 de Abril. O costume: é Portugal, nada parece mal…

  3. Os CDs estão bonitos, mas as capas ainda não são as originais. O costume…

Deixe um comentário

Zeca (2)

QUEM SOMOS


disco

SER SÓCIO


LOJA


escritasdomaio

ESCOLAS


materiais

EXPOSIÇÕES

SUBSCREVER NOTÍCIAS


Categorias

Arquivo



RÁDIO AJA

Here is the Music Player. You need to installl flash player to show this cool thing!


© 2019 AJA. All Rights Reserved. Iniciar sessão - Designed by Gabfire Themes