Entrevista a Zélia Afonso

Azeitão - 40ºaniversário 25 Abril

Onde estava no 25 de Abril?
Em Setúbal. O telefone toca a uma hora inabitual, sete da manhã, e dizem-me: “Liga a rádio!” Ouvi. Mais música do que o habitual, apenas sinais vagos…
O pide, tal como fizera nos últimos três dias, continuava a “guardar” a porta. E os filhos foram para a escola.

Qual foi a sua reação?
De expectativa, que rapidamente se transformou em alívio. Era preciso saber qual o “sinal” daquele golpe e aguardar a clarificação da situação.
Quando, à hora de almoço, o pide abandonou o posto de vigia, tivemos a certeza de que lado estavam os tanques e foi a hora de ir para Lisboa, para o que desse e viesse!

Que episódio a marcou mais?
O povo saiu à rua, num dia assim… Ver a saída dos presos políticos de Caxias e abraçá-los. Este acontecimento foi a confirmação de que a liberdade fazia parte de Abril.

Qual é a figura que na sua opinião marcou o 25 de Abril?
Mesmo sendo o 25 de Abril uma ação coletiva, destaco Otelo Saraiva de Carvalho e Salgueiro Maia.

O que mudou na sua vida pessoal?
Muito. A permanente vigilância da PIDE acabara. E todos queríamos uma “cidade sem muros, nem ameias/gente igual por dentro, gente igual por fora”.

Continuar a ler no Diário de Notícias

some_text

1 Comentário para “Entrevista a Zélia Afonso”

  1. Lisa Santos Silva

    Como dizer….
    José Afonso é e será sempre a sentinela, o guardião, das nossas utopias e das nossas esperanças. Como viver sem elas?
    Um Homem, um Artista que cantou a liberdade e que a viveu sem medo de a pagar, o preço deve ter sido alto! Mas não é esse o maior luxo de um grande artista ? O maior luxo de seja quem for, e tão difícil de pagar, porque é preciso ter meios…
    Zélia Afonso diz, e muito bem, que José Afonso não era “homem de espectáculo”. A sua extrêma exigência consigo próprio nunca o levaria a deixar-se recuperar pela “Société du Spectacle” nem, tão pouco, pelas instituições.
    Visionei ontem o concerto do Coliseu. A “BALADA DE OUTONO” atingiu-me profundamente. Vi nela um artista que se despede de si próprio,da sua arte, das suas armas… Uma dor imensa. Poderíam dizer-me qual é a data da sua criação ?
    Gostaría de ficar em contacto…
    Com um profundo sentimento de irmandade
    Lisa Santos Silva

Deixe um comentário

Zeca (2)

QUEM SOMOS


disco

SER SÓCIO


LOJA


escritasdomaio

ESCOLAS


materiais

EXPOSIÇÕES

SUBSCREVER NOTÍCIAS


Categorias

Arquivo



RÁDIO AJA

Here is the Music Player. You need to installl flash player to show this cool thing!


© 2019 AJA. All Rights Reserved. Iniciar sessão - Designed by Gabfire Themes