“O Zeca é o Estado Novo e o século XX”

Irene Pimentel, investigadora distinguida com o Prémio Pessoa de 2007 pelo seu trabalho sobre o Estado Novo, escreveu agora os textos para a ‘Fotobiografia de José Afonso’, uma surpresa para muitos que, nas palavras da autora, não passa de “mais do mesmo”.

“Escrever sobre o Zeca continua a ser escrever sobre o Estado Novo, agora numa perspectiva global: havia o lado do regime e o da resistência, o da arte e o da cultura. Diria mesmo que o Zeca é o Estado Novo e o século XX porque ele tanto viveu o regime como o contra-regime, a revolução como o pós-revolução, e todo o processo de transição para a democracia até aos anos 80, quando ele morreu”, diz Irene Pimentel.
Há anos a “tratar por tu” as instituições do Estado Novo e as figuras que as mantinham, faltava contar a história da Oposição e de quem a apoiava. Desafio aceite.
“A maior dificuldade foi o facto de ter tido uma relação de grande proximidade e simpatia com o objecto de estudo… Comecei por ouvi-lo e comprar os seus discos até que o conheci no grupo de teatro A Barraca, onde trabalhámos juntos. Eu como secretária, ele como músico. Para passar destas memórias para a neutralidade que nunca existe – mas da qual, como historiadora, não posso desistir – optei por ver como é que tinha sido visto por aqueles que conviveram e cantaram com ele e, sobretudo, pela imprensa da época”, conta.
Nesta “biografia-súmula”, uma de muitas, há novidades: “Esteve na Mocidade Portuguesa, foi apoiante do regime até determinada fase da sua vida e teve na Guerra Colonial a revelação da miséria do País e do racismo do povo.” Mas, maior surpresa encontrou a autora num acto de censura na origem de um ícone do 25 de Abril: “Ao expulsá-lo do ensino, o regime fez dele cantor e imortalizou-o.”
PESSOAL
UMA BIOGRAFIA
“Como leitora, a minha preferida é talvez aquela biografia monumental de dois volumes sobre Hitler, da autoria de Ian Kershaw. Muito, muito boa.”
UMA MÚSICA
“Do Zeca Afonso difícil é escolher e depende do momento. São tantas e todas tão boas. Gosto de ‘Venham Mais Cinco’ pelo texto lindíssimo e pelo ritmo extraordinário mas ‘Utopia’ é outra grande canção.”
UMA MÁGOA
“Quando escrevi ‘Biografia de um Inspector da PIDE’, fui ‘crucificada’ na internet antes mesmo de o livro ter chegado às livrarias. E isso magoou-me muito. Depois, aprendi a defender-me. Não tenho tabus mas há quem tenha!”
Dina Gusmão in Correio da Manhã
some_text

1 Comentário para ““O Zeca é o Estado Novo e o século XX””

  1. belo livro…OBRIGADO

Deixe um comentário

Zeca (2)

QUEM SOMOS


disco

SER SÓCIO


LOJA


escritasdomaio

ESCOLAS


materiais

EXPOSIÇÕES

SUBSCREVER NOTÍCIAS


Categorias

Arquivo



RÁDIO AJA

Here is the Music Player. You need to installl flash player to show this cool thing!


© 2019 AJA. All Rights Reserved. Iniciar sessão - Designed by Gabfire Themes